20 de mar de 2014

2

Comparação entre o lado brasileiro e o argentino das cataratas.


Na edição de novembro de 2008 da revista Viagem e Turismo, uma reportagem dava conta de algumas comparações entre o lado brasileiro (Parque Nacional do Iguaçu) e o lado argentino das cataratas (Parque Nacional Iguazú). As comparações foram feitas pelo Guia Brasil 2009 e atribuíam notas de 0 a 10 a diversos quesitos dos parques.
Depois de chegar de Foz do Iguaçu, decidi eu mesma fazer minhas comparações usando  os mesmos quesitos propostos no texto, pois achei injustas as pontuações.


Seguem, então, minhas comparações:

Transporte no parque:

Brasil (Parque Nacional  do Iguaçu): feito em ônibus de 2 andares, com informações em português, inglês e espanhol;  praticamente nenhuma espera para pegar os ônibus nas estações. Nota 10.
* O Brasil ganhou nota 8 no Guia Brasil 2009. O que faltou para o 10?


Argentina (Parque Nacional Iguazú): feito em trem aberto, com grande espera e longas filas entre as estações. Nota 7.
*A Argentina ganhou nota 5 no Guia.


Passarelas:

Brasil (Parque Nacional do Iguaçu): trilha + passarela somam 1,2 km, feitos praticamente todos na sombra. Acessibilidade para cadeirantes através dos elevadores do Espaço Naipi. Ninguém deixa de ver o espetáculo. Nota 10.
* O Guia deu nota 6 para o Brasil, alegando que molha muito e é garantia de gripe. Me poupe, ver um espetáculo desse e ficar preocupado em não se molhar! Fica em casa vendo televisão meu amigo!


Argentina (Parque Nacional Iguazú): são muitas trilhas para se fazer, mas a principal, para a "Garganta do diabo", é feita praticamente toda sob o sol. Há total acessibilidade para cadeirantes, como do lado brasileiro, ninguém fica de fora. Também molha bastante no final da trilha, já de frente para as cataratas. Nota 10.
* O Guia deu nota 8 para los hermanos, o que também é injusto, pois o sistema de passarelas deles funciona muito bem; andamos mais, porém, vemos a "Garganta do diabo" bem de pertinho, além de alguns saltos que não podem ser vistos do lado brasileiro.


Visão:

Brasil (Parque Nacional do Iguaçu): as quedas vão ficando cada vez mais bonitas à medida que se avança na trilha, culminando com uma visão panorâmica e bela das cataratas. Nota 10.
* O guia deu nota 8 para o Brasil. São as quedas d'água mais bonitas do planeta. Nota 8? Como assim?Qual será a nota dez desse guia?


Argentina (Parque Nacional Iguazú): fazendo pelo menos duas trilhas, para a "Garganta do diabo" e o circuito superior, o lado argentino te dá uma visão ampliada e magnífica das cataratas. Nota 10.
*O guia também deu nota 8 para os argentinos. Bem, se eles acham as visões das cataratas dos lados brasileiro e argentino somente "boas", não sei o que deu em mim e nos outros milhões de turistas que saem de lá encantados.


Garganta do diabo:

Brasil (Parque Nacioanal do Iguaçu): boa visão, mas não tão de perto quanto dos argentinos, mesmo assim, achei maravilhosa a vista. Nota 9.
*O guia deu nota 8 para o Brasil, pois achou longe a vista da "Garganta do diabo".


Argentina (Parque Nacional Iguzú): você fica praticamente dentro da Garganta do tinhoso, com a mais bela visão das cataratas. É preciso olhar durante muito tempo para acreditar em tudo aquilo. Nota 10.
* Pelo menos nessa nota concordamos, o guia deu 10 para a argentina.


Quatis:

Brasil (Parque Nacional do Iguaçu): são muitos, bastante bonitinhos, mas podem morder e transmitir doenças, portanto, mantenha distância. Nota 8.
* O guia deu nota 7 para nosso bichinhos.


 Argentina: (Parque  Nacional Iguazú): aparecem em menor quantidade para os turistas, ficam mais concentrados dentro das matas, mas, em compensação, muitas aves diferentes podem ser vistas ao longo da trilha principal. Nota 8.
* O guia deu nota 0 para os argentinos. Quem fez essa comparação com certeza não percorreu nenhuma trilha no parque, onde vemos inúmeros quatis; eles apenas preferem ficar no seu hábitat natural.


Centro de visitantes:

Brasil (Parque Nacional do Iguaçu): tudo bem sinalizado,  pessoas explicando os passeios, com banheiros, lanchonete, loja de lembranças, tudo sinalizado em várias línguas. Nota 10.
* O guia deu nota 8 para nosso centro de visitantes. Se essa pessoa vem ao Rio opinar sobre qualquer atração turística, estamos perdidos, já que não temos nada parecido com a organização do Parque Nacional Iguaçu.


Argentina (Parque Nacional Iguazú): o centro de visitantes deles tem até exposiçoes sobre fauna, flora, cultura e conservação do ambiente em que estão inseridas as cataratas, mas não possui a organização  do lado brasileiro. Nota 9.

* o guia deu nota 5 para o centro de visitantes argentino, alegando só estar disponível em espanhol e inglês, faltando o português. Acho que o problema já foi resolvido.

Preço:

Brasil (Parque Nacional do Iguaçu): R$ 26,00 em março de 2014. Nota 10 novamente.
* O guia deu nota 8 para valor do ingresso. Pela organização, limpeza e logística do parque, o ingresso não é caro, vale o 10 que dei.


Argentina (Parque  nacional Iguazú): 115 pesos argentinos, o equivalente a R$ 34,00 em março de 2014. Nota 5. Poderiam melhorar o sistema de transporte entre as estações, colocando mais trens, mas o principal motivo  da minha nota 5  foi a forma de pagamento do ingresso: somente aceitam pesos argentinos, acho que eles não sabem da existência de cartão de crédito/débito.
* O guia deu nota 6  para os preços argentinos.


Estacionamento:

Brasil (Parque Nacional do Iguaçu): custa R$ 15,00 pela diária. Nota 5. Não precisava pagar estacionamento.
* o guia deu nota 0 para nosso estacionamento.

Argentina (Parque Nacional Iguazú): custa $20 pesos, o equivalente a R$6,00. Nota 9. Poderia ser de graça também, mas o valor é menos da metade do Brasil.
* o guia deu nota 10 para nossos hermanos, pois na época o estacionamento não era cobrado.

Final: Brasil 72; Argentina 68. Deu Brasil, como sempre!

Patricia Tayão.
Fotos: Eduardo Freitas.

2 comentários:

  1. Adorei a comparação entre os lados brasileiro e argentino das Cataratas, ficou bem detalhada! Pena que não deu tempo de visitar o lado argentino na viagem, ficou pra próxima. Enquanto isso tô aqui abismada: o lado argentino tem uma vista ainda mais bonita das cataratas? uau, preciso ver isso!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thaís, por incrível que pareça tem visões do lado argentino que realmente são divinas, ainda mais em um dia de sol; é de chorar!

      Excluir