14 de mar de 2014

7

Cataratas do Iguaçu - Uma fábrica de arco-íris!


Estivemos por quatro dias em Foz do Iguaçu, e posso dizer, sem sombra de dúvidas, que o Parque Nacional Iguaçu (lado brasileiro) e o Parque Nacional Iguazú (lado argentino), foram os lugares mais lindos que já visitei. Tanto o lado brasileiro quanto o argentino possuem características próprias, mas os dois devem ser visitados para ser formada na sua memória, a imagem completa das cataratas mais bonitas do planeta.

O lado brasileiro é um exemplo de organização, limpeza, logística; no lado argentino você tem uma bela visão da "Garganta do Diabo." Em ambas as partes você percebe a força da natureza e toda sua estupenda beleza.

Do aeroporto para a cidade:


Existem 4 opções para se chegar à cidade de Foz do Iguaçú: de táxi, de van com agência de viagens - nós utilizamos a Loumar Turismo - de carro alugado ou com a forma mais barata: de ônibus, linha 120, passa exatamente na porta de desembarque do aeroporto.


Ficamos hospedados no Hotel Dany,  no centro da cidade, muito bem localizado, pertinho do terminal de transporte urbano da cidade, ao lado da padaria Marias e Maria, que tem comida a quilo super barata e de boa qualidade, além de lanches e outras coisas engordativas. 

O hotel é simples, mas tem uma boa cama, ar condicionado, um bom chuveiro, wi-fi, além de um razoável café da manhã. Sua localização  é matadora, além de ser bem barato.


O hotel não possui nenhum atrativo para os pequenos, mas a intenção dessa viagem não era curtir o hotel e sim os passeios, por isso optamos por ele, mas em Foz existem inúmeros resorts que são perfeitos para ir com crianças, como o  Bourbon Cataratas, o  Mabu Thermas Resort ou o Nadai Confort Hotel & Spa.

Se quiser, faça uma busca/resserva por eles no Booking e veja suas avaliações.

                       

Fizemos o basicão de Foz: city tour, cataratas do lado brasileiro, lado argentino, Itaipu binacional e jantares em Puerto Iguazú e Noite Italiana, no hotel Bella Italia.

Cataratas lado brasileiro.


Para chegar às cataratas no lado brasileiro, pega-se o ônibus 120 no TTU (Terminal de transporte urbano), que demorou uns 30 minutos até a entrada do parque, ou contrata-se um transfer. Nós optamos pelo ônibus pois achamos muito fácil  e rápido o caminho.

Se quiser contratar  um bom serviço de transfer, indico a Loumar turismo, agência com a qual fizemos nossos transfers e city tour. São pontuais, as vans são confortáveis, os guias muito solícitos e com um excelente conhecimento sobre a cidade.

Se quiser comprar a entrada do parque pela internet, clique aqui.


O lado brasileiro das cataratas é impecável em todos os quesitos, tudo funciona perfeitamente. Chegando ao centro de visitantes, você tem uma loja de lembranças, bilheteria e um balcão de informações turísticas.



Também no centro de visitantes, você embarca em um lindo e confortável ônibus, que tem 2 andares e a parte de cima aberta, para melhor visualização do percurso até a primeira parada.



As paradas do ônibus dentro do parque e o que pode ser feito em cada uma delas:

Primeira parada - Trilha do Poço Preto: trilha de 9 km, que pode ser percorrida a pé, contemplando a fauna e a flora, de carro elétrico ou de bike.

Segunda parada -  Macuco Safári: passeio em carrinho elétrico + passeio de barco pelo rio Iguaçu com direito a banho nas cataratas. Trilha das bananeiras: trilha de 1,5 km, que pode ser percorrida a pé ou em carrinho elétrico + passeio de barco + passeio em caiaque inflável.

Terceira parada - Trilha das cataratas: trilha de 1200 metros até as passarelas onde é possivel avistar de pertinho, a "Garganta do Diabo". A trilha oferece uma visão panorâmica e cada vez mais bonita das quedas d'água, conforme você se aproxima da "Garganta do Diabo", mais o negócio fica deslumbrante. Essa é a trilha que a grande maioria das pessoas fazem.




No final da trilha das cataratas existe o Espaço Naipi, com loja de fotos, lembranças, deque com uma excelente visualização das cataratas e dois elevadores que te levam para um belo mirante. Também possui banheiros e lanchonete.

Se quiser dar uma olhadinha no mapa do parque, clique aqui.

*No seu ingresso está incluso a trilha das cataratas, o elevador do Espaço Naipi e o ônibus de ida e volta entre as paradas. Todos os demais passeios são pagos à parte.


Além desses passeios mencionados,  pode-se fazer rapel, canoagem, arvorismo, voo de helicóptero, rafting, além do luau das cataratas, um passeio noturno  com datas marcadas, em que se pode apreciar a vista das cataratas sob a luz da lua cheia, com opção de jantar  no restaurante Porto Canoas.

Todos os passeios podem ser adquiridos no centro de visitantes, no balcão de informações turísticas ou em uma agência de viagem.

Depois que você chegar ao Espaço Naipi e subir o elevador para o mirante, vire à direita mais no alto e chegue no Espaço Porto Canoas, com lojas, lanchonetes, banheiros, ambulatório e o restaurante Porto Canoas.

Nós fizemos nossa única parada na trilha das cataratas e depois almoçamos no Porto Canoas. O restaurante tem vista para o rio Iguaçu, e serve uma comida realmente boa, muito bem preparada, com pratos bem apresentados. Tinha picanha ao alho, massas, peixe grelhado, frango, uma grande variedade de saladas e nosso famoso arroz com feijão. Pagamos R$40 por adulto e metade pelo Isaac. Pode-se pagar em pesos, dólares e reais. Depois de tanta beleza, dá uma fome!

Não fizemos nenhum passeio além do que já está incluso no valor do ingresso, pois achamos que ia ficar meio puxado com criança e com o marido da minha mãe, que tem dificuldades para andar.

Aliás, esqueci de mencionar, se tiver alguém no seu grupo com dificuldade de locomoção, o ônibus segue até a estação Porto Canoas, onde a pessoa pode descer de elevador e apreciar da mesma forma as cataratas, só que sem fazer toda a trilha.

Não achei necessidade de colocar protetor solar no Isaac, pois a trilha  é feita  praticamente toda na sombra.

Descobri que em Foz existe uma fábrica de arco-íris, feita somente para enfeitar as cataratas e tornar nossa visita ainda mais especial! São muitos, às vezes mais de um. Podem economizar, dois é demais pra mim! Além da fábrica de arco-íris, Foz também tem uma fábrica de quatis, que vivem soltos no parque, roubando comida dos turistas e enlouquecendo os pequenos de tanta fofurice, e uma de borboletas, nunca vi tantas, tudo para deixar o lugar ainda mais bonito. Pode isso?


Atenção, não deixe seu filho brincar ou alimentar os quatis, parecem inofensivos, mas podem morder e transmitir raiva.

Chegar pertinho da Garganta do Diabo, ouvir aquele estrondo,  ver muitos arco-íris, deixar-se molhar por inteiro nas passarelas; fiquei me perguntando: como demorei tanto para visitar esse lugar incrível?

E você? Já visitou as cataratas? Como foi sua experiência? Conta pra gente vai!

* Agradecemos a Loumar Turismo pelas cortesias do tranfer, city tour e noite italiana.

Nos próximos posts, falaremos sobre o lado argentino das cataratas, o city tour, jantar em Puerto Iguazú, noite italiana e Itaipu Binacional. Aguardem!

Patricia Tayão.
Fotos: Eduardo Freitas.







7 comentários:

  1. Ana Luisa Rodrigues15 de março de 2014 07:12

    Nó! Amei seu relato. Arrisco dizer que dos zilhões de post que já li sobre o tema "foz com ou sem crianças" este foi o que melhor descreve os passeios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Ana Luisa, qualquer dúvida pode perguntar. E volte sempre ao blog!

      Excluir
  2. Fotos lindas, parabéns seu blog é um sucesso !!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Marli, da próxima vez se identifica!
      Abraços!

      Excluir
  3. Fotos LINDAS ! Seu blog é um sucesso !!!!

    ResponderExcluir
  4. Realmente, esse foi o relato mais explicadinho das Cataratas que eu li. Parabéns!

    ResponderExcluir