2 de abr de 2015

0

Visitando o Museu Nacional da UFRJ.


Fundado em 1818 por D. João VI, o Museu Nacional foi a primeira instituição científica do país, sendo um dos mais importantes museus do Brasil e o maior Museu de História Natural e Antropológica da América Latina.

O museu ocupa o Palácio São Cristóvão, prédio que já serviu de moradia para a família real portuguesa e para a família imperial brasileira.

Mesmo com toda essa importância, ainda não havia levado Isaac ao Museu Nacional, que está localizado dentro da Quinta da Boa Vista, um parque super concorrido aos finais de semana, pois oferece muito espaço para os pequenos brincarem.

Dentro da Quinta tem pedalinhos, aluguel de bikes, carrinhos elétricos, muitas mesas para fazer pic nic, cama elástica e muitos outros brinquedos. Barraquinhas mil vendem de um tudo: brinquedos, bebidas e lanches, estacionamento (R$15,00) e banheiros, também pagos, mas todos relatam que são sujos ou algumas vezes estão fechados.

Outro passeio bacana dentro da Quinta é o Zoológico do Rio, que apesar de estar em péssimo estado de conservação, ainda é um passeio que agrada aos pequenos, que acabam não percebendo muito a falta de cuidados com os bichanos.

Fotos da Quinta da Boa Vista:



Alugamos uma bike e demos uma volta  pelo parque (R$20,00 reais 1/2 hora).


Dá para alugar um pedalinho e dar uma voltinha pelo lago...



Na descida do Museu para o parque  dá até para ver o Cristo Redentor...


Não espere um museu bem cuidado, apesar de sua importância histórica e científica, há algumas semanas atrás o mesmo foi fechado por falta de verba, pasmem, para segurança e limpeza!

O prédio passa por uma reforma interminável e dá claros sinais de urgência de manutenção de sua estrutura. Mesmo assim, deteriorado, o prédio é belíssimo, em estilo neoclássico, abrigando nada menos do que 20 milhões de peças! 

Palácio em estilo Neoclássico...

,

Os jardins também são lindos...


Logo na entrada do museu fica exposto o meteorito de Bendegó, maior meteorito brasileiro, com 5,36 toneladas...


Para alegria da garotada, uma réplica do crânio de um Tiranossauro rex...


A sala da qual mais gostamos, aliás, nós e a torcida do flamengo, pois era a mais disputada do museu, todos querendo fazer selfie com a primeira réplica de um dinossauro de grande porte montada no Brasil, o Maxakalisaurus topai, um herbívoro de 9 toneladas e 13 metros de comprimento...




Outros dinossauros... 



Esqueletos das preguiças-gigantes...


Fósseis de animais e vegetais...


Nessa parte do museu, tudo pode ser tocado, as crianças adoram...



Na Sala do Trono, móveis, pinturas e porcelanas que perteceram à família real e imperial...




Bonitos jardins internos são vistos das sacadas do museu...


Outra exposição que é sucesso entre as crianças é a do Egito Antigo, que contém múmias e sarcófagos, estelas funerárias e estatuetas, elas ficam encantadas. As peças revelam a intensa espiritualidade e misticismo desta cultura milenar. 



Das janelas do museu, muitos jardins...


Etnologia indígena brasileira...


Cultura Marajoara...



Tem muita coisa para ser vista de arqueologia brasileira, cultura indígena, pré-colombiana, culturas do mediterrâneo, antropologia biológica, fósseis, Egito antigo, vertebrados e invertebrados, aves e meteoritos. Rende uma manhã inteira de passeio pelos corredores do museu.

Como já mencionei antes, o ideal é fazer um combo Museu Nacional+Quinta da Boa Vista ou Museu Nacional +Zoológico. 

Do lado de fora do  Zoológico, o  Restaurante Quinta da Boa Vista vai lhe render um bom almoço e dentro do Zoo, outro restaurante mais simples não deixa você passar aperto com seus pequenos.

Endereço do Museu Nacional: Quinta da Boa Vista, s/nº, São Cristóvão - Rio de Janeiro.
Funcionamento: às segundas, das 12 às 17 horas, e de terça a domingo, de 10 às 17 horas.
Informações: 21 3938-6042.
Valor do ingresso em março de 2015: Inteira R$6,00 e meia entrada R$3,00 reais. 
Email: museu@mn.ufrj.br
*Possui estacionamento e banheiros.

Patricia Tayão.
Fotos: Patricia Tayão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário