9 de jul de 2015

0

Como é o Museu da República, no Catete, Rio de Janeiro.

Museu visto do jardim.

Lindo, repleto de história do Brasil, arte e cultura, facilmente acessível de metrô, com um espaço enorme para as crianças brincarem, e melhor ainda, gratuito às quartas e domingos. Assim será sua visita ao Museu da República, que desde 1960 ocupa o Palácio do Catete, no Rio de Janeiro.

O Palácio, construído entre 1858  e 1867, em estilo eclético, também já serviu de moradia ao Barão de Nova Friburgo, fazendeiro de café e comerciante, e posteriormente, até a década de 60, serviu como sede e moradia da presidência da república do nosso país.

O museu conta um pouco da história do Brasil na época da república, além de sido palco de importantes fatos históricos, como o suicídio de Getúlio Vargas, em 1954.

Hall que dá acesso a escada, com seis colunas em mármore.


A escada que dá acesso ao segundo andar é um desbunde. Passamos bastante tempo admirando tudo: a  escada e as paredes, repletas de pinturas e obras de arte. São tantos detalhes que é difícil descrever. Só vendo...As fotos estão um pouco escuras pois só podemos tirar foto dentro do museu sem flash.


Mais detalhes da escada, construída em ferro fundido, uma das primeiras a serem feitas no Brasil.



Durante a república, o primeiro andar do museu abrigava setores burocráticos, como secretaria, biblioteca, gabinetes. Hoje o primeiro andar abriga  exposições de longa e curta durações. Essa de baixo, conta a história  do palácio e do museu, outra conta um pouco da história da república brasileira.



Todos devem tirar foto nessa janela, que tem uma tela, igualzinha ao jardim do palácio.


Salão Ministerial, servia de local para reunião do presidente com seus ministros. Seu teto apresenta ainda a decoração original, por sinal, linda.



Isaac imitando Getúlio, que está representado em um painel. No museu você pode ver a carta que ele deixou ao se suicidar, a roupa que estava usando no dia, e inclusive a arma que ele utilizou para se matar.


O belo jardim do palácio, visto da varanda.


Tantos detalhes, você não para de olhar para o alto um segundo, pois os tetos são uma obra de arte, os mais bonitos que já vi...


O segundo andar do museu, conhecido como piso nobre, era destinado às recepções e cerimônias. Por todos os salões do segundo andar, nota-se muito luxo e riqueza.

Salão Francês.


Salão Francês - em estilo Luiz XVI, servia de apoio e refúgio as recepções oferecidas no paláco.


Salão Nobre - onde eram realizadas as principais recepções do palácio. As pinturas verticais representam cenas mitológicas associadas à música  e as às artes, e na parte superior das paredes, pinturas em semicírculos referem-se à vida de Apolo, deus da música e da poesia.





Salão Pompeano - servia de apoio aos salões Nobre e Veneziano.


Salão Veneziano - era usado como sala de visitas na época do Barão, e como sala de música e para a realização de saraus, durante a república.




Salão Mourisco - inspirado na arte islâmica, era um local masculino, usado como sala de jogos e para fumar.


Salão dos banquetes - também foi utilizado na época de Getúlio, como salão para reuniões ministeriais.


Escritório de Getúlio Vargas.


O terceiro andar do museu, onde ficavam os aposentos do Barão, e depois, dos presidentes, está fechado à visitação, para fins de reforma.

O museu também tem uma loja de lembranças, livros e dvds, um gostoso café, um cinema e um bistrô, tudo na área externa, no meio dos jardins.



Bistrô do museu...


Os jardins são um capítulo à parte: belos e bem cuidados, um convite à contemplação. Para os pequenos, um final feliz de brincadeiras, com muito espaço para correr, playground e bichos para ver.



Uma caverna? Sim, essa foi a parte que meu filhote mais gostou...





Belas estatuetas...


Um coreto, que era mui usado nos espaços públicos da época...


Enfim, a visita ao Museu da República, com ou sem crianças,  é um passeio imperdível no Rio de Janeiro, um lugar repleto de história e rico em beleza.

Como sugestão de passeio para um dia inteiro, sugiro a visita ao Cristo Redentor, depois um almoço no restaurante Mamma Rosa, bem pertinho do Cristo, e por último a visita ao Museu da República. Seu dia com certeza, será perfeito na cidade maravilhosa!


Endereço: Rua do Catete, 153 - Catete - Rio de Janeiro.
Tel: (21) 2127-0324

Funcionamento: de terça à sexta, das 10 às 17 horas. Sábados, domingos e feriados, das 11 às 18 horas.
Horário do jardim: aberto diariamente, das 8 às 18 horas.
Ingressos: R$6,00 reais. Estudantes e menores de 21 anos tem 50% de desconto. Professores, maiores de 60 anos e crianças até dez anos não pagam.

Como chegar: a melhor opção é de metrô, descer na estação Catete. De ônibus, saindo da Zona Sul, pegar o 107, 119, 136, 154, 170, 178, 180, 184, 401, 409, 410, 422, 433, 434, 438, 497, 498, 571.

*Entrada gratuita às quartas-feiras e aos domingos.



Patricia Tayão.
Fotos: Patricia Tayão.

*Para reservar seu hotel no Rio de Janeiro, basta acessar o banner do Booking abaixo. Recebemos uma pequena comissão pelas reservas feitas através do blog, e o preço não altera em nada para você. 

                                 


Nenhum comentário:

Postar um comentário