22 de jul de 2016

0

Como conseguir a poltrona do meio vazia nos voos internacionais.


Não é segredo para ninguém que a blogueira que vos escreve é alucinada por viagens. É meu vício, minha paixão, o que mais amo fazer na vida. Mas tenho que admitir que ficar horas dentro de um avião, na classe econômica, é quase uma tortura para mim. Em voos nacionais,  que são curtos, nem sentimos tanto o aperto a que somos submetidos, mas nos internacionais, mais longos, se mexer, ir ao banheiro, comer, tudo é muito desconfortável. E o que dizer de dormir! Aquilo não existe! 

Ai, como deve ser bom ter grana para viajar  na primeira classe!

Enquanto meu dinheiro só consegue comprar voos internacionais em 10x - na econômica - sigo sonhando apenas com a poltrona do meio vazia... 

Testamos essa técnica (existem outras também) no nosso último voo para Miami. E não é que deu certo!

Vamos lá...

Aqui em casa voamos em três. A técnica, bem simples, consiste em reservar (com antecedência) dois dos assentos -  um no corredor e outro na janela, deixando a poltrona do meio vazia. O terceiro assento você reserva no corredor de trás,  ou melhor ainda, na fileira do meio de trás.  Lembrando de escolher as fileiras de trás do avião,  que são as escolhidas por último. E faz uma reza forte pra todos os santos! 

Como estávamos em baixa temporada, com dólar alto, conseguimos o assento do meio vazio, tanto na ida, quanto na volta. O que fez uma grande diferença para os dois sortudos (meu marido e filhote), que foram contemplados com tal fato.

Como nem tudo são flores, a blogueira, que mesmo odiando a econômica, ainda consegue  dormir um pouco mais que o marido, cedeu-lhe o lugar e foi mais do que apertada no corredor de trás, claro, com dois vizinhos. 

A configuração perfeita para essa técnica é voar em quatro pessoas, reservando os quatro assentos -   dois na frente, dois atrás -  com, com as respectivas poltronas do meio vazias.  

Vai por mim...No desconforto total do voo internacional na econômica, qualquer centímetro a mais de espaço vale a pena.

O Riq. Freire, meu guru de viagens e escritor do melhor blog de viagens do Brasil, o Viaje na Viagem, tem outras dicas testadas por ele - dá uma olhadinha aqui.

Patricia Tayão.
Fotos: domínio público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário