10 de set de 2015

0

Chapada dos Veadeiros: dicas gerais e post índice.


A Chapada dos Veadeiros é uma região a nordeste de Goiás, com vegetação típica de cerrado, repleta de cachoeiras, cânions, rios cristalinos, paredões rochosos, formando belas paisagens.

A região tem uma aura mística, esotérica, pois além de ser cortada em Alto Paraíso pelo paralelo 14, o mesmo que corta Machu Picchu, no Peru, a mesma fica localizada em cima de uma imensa placa de cristal de quartzo, atraindo toda sorte de seitas, religiões e terapias, que acreditam que o lugar oferece uma conexão com outras dimensões. 


As três bases para conhecer a região são Alto Paraíso (a mais bem estruturada, onde nos hospedamos), São Jorge (mais rústica e a  mais próxima da entrada do parque) e Cavalcante (onde fica localizada uma das mais bonitas cachoeiras da Chapada, a Santa Bárbara).

Estivemos recentemente na Chapada, nos apaixonamos por ela,  e contamos nossa experiência por lá em uma série de posts no blog.

Posts sobre os atrativos da região que visitamos:

Onde se hospedar:
Pousada Recanto da Grande Paz: excelente pousada em Alto Paraíso de Goiás.

*Para saber tudo sobre a Chapada dos Veadeiros e todas as outras do Brasil, além do Jalapão, dá uma olhadinha nesse mega post do Ricardo Freire, que escreve o melhor blog/site de viagens do Brasil, o Viaje na Viagem.


Nesse post, respondemos algumas perguntas que vão tornar sua viagem à Chapada mais fácil: 

Minha família vai curtir a Chapada dos Veadeiros?

Depende: se vocês curtem atividades ao ar livre, com todo o prazer/perrengue que isso inclui, gostam de fazer caminhadas, tomar banho de cachoeira, ver belas paisagens, e não se importam com a falta de estrutura de alguns atrativos, tenho certeza que sim.

O lugar é realmente mágico, repleto de paisagens de tirar o fôlego, com pessoas do Brasil e do mundo inteiro, gente disposta a fazer amizades, aberta para todo tipo de cultura.

A alma dessa região é mochileira/esotérica/mística/alternativa/saudável, e mesmo você não sendo nada disso, como eu, dá para curtir tudo numa boa,  basta aceitar e respeitar as diferenças entre as pessoas, o que devemos fazer em qualquer lugar.

A Chapada não é para você que quer carrinho de golf para pequenas caminhdas, que quer extremo conforto, não gosta de animais/insetos, que não gosta de água fria, que precisa de recreação para seu filho para poder descansar.


Como chegar à Chapada dos Veadeiros?

O aeroporto mais próximo é o de Brasília, que fica a 230 km de Alto Paraíso, uma das bases para explorar a região. Querendo se hospedar em São Jorge, acrescente mais 36 quilômetros a essa conta.

Para chegar a região você deve pegar a BR-020, em direção a Formosa (Goiás), no trevo, depois de Planaltina, pegar a pegar a GO-118, seguindo sempre em linha reta. Em duas horas e meia, três horas, você chega a Alto Paraíso.

Para chegar a São Jorge, faça o mesmo caminho, pela GO-118, mas a entrada para a vila será um pouco antes, a sua esquerda, pegando a GO-239. A GO-239 agora está asfaltada até a entrada da vila de São Jorge.

Como ir: de ônibus, carro ou carona? E as estradas, como são? 

Sem dúvida alguma, a melhor opção é alugar um carro já na saída do aeroporto de Brasília
. A estrada é excelente, além de muito bonita. Fomos na alta temporada e não pegamos trânsito, tudo bem sinalizado, super recomendo.


Oura vantagem do carro é poder fazer seus passeios por conta própria na região sem depender de agências, sem ter a preocupação de ter que se encaixar em algum grupo. Com crianças, recomendo mais ainda o aluguel do carro, pois você faz os passeios no seu próprio ritmo, indo e voltando a hora que bem lhe entender.

De ônibus, a empresa Real Expresso faz o trecho Brasília x Alto Paraíso de Goiás.

Também é possível ir de carona, fazendo contato no facebook com o grupo Conexão Chapada - BSB - Transporte solidário. No grupo você ou oferece carona ou pede pela mesma, combinando datas, horário, local e contribuição para o gás, que no momento é no máximo de R$35,00 reais por trecho.


Os atrativos da região:

Pode-se fazer passeios dentro e fora do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Nós, por exemplo, fizemos apenas passeios fora do parque. 

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

Parque aberto de terça a domigo, com entrada das 8 às 12 e saída até às 18 horas. No período de férias escolares, em janeiro e julho, o parque abre todos os dias. Em caso de feriado na segunda-feira, o parque abre, e fica fechado no dia útil seguinte. 

*Crianças menores de cinco anos não podem entrar no Praque Nacional.

*O ideal é contratar um guia na entrada do parque para fazer as trilhas, o que vai te proporcionar um maior aprendizado sobre a fauna/flora/cultura do local. 

Veja a lista completa dos guias cadastrados no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros aqui.


Dentro do Parque pode-se fazer duas trilhas:

Trilha dos Saltos - 10km ida e volta. Saltos de 80, 120 metros de altura, piscinas para banho e hidromassagens naturais. Grau de dificuldade: médio.

Trilha dos Cânions - 12 km ida evolta, com cânions, piscinas naturais e cachoeira. Grau de difuculdade: médio.

Fora do Parque Nacional:

Existem dezenas de passeios a serem feitos fora do Parque nacional. Para saber dos mais importantes, baixe esse pdf  preparado pela Pousada Recanto da Grande Paz.   Link aqui.


Quando ir?

Sem sombra de dúvidas, a melhor época para conhecer a região é na época seca,
que vai de abril a setembro. De junho a agosto praticamente não chove na região, e o sol brilha todos os dias para você. Outra vantagem dessa época é que pela falta de chuva, não existe o risco de tromba d'água nas cachoeiras.

Dentro da época seca, evite ainda os feriadões e finais de semana, que lotam alguns atrativos da região.

De outubro a março é a época chuvosa na região, onde as cachoeiras vão estar mais caudalosas, mas com risco de tromba d'água. Outra desvantagem são as estradas que dão acesso às cachoeiras, que por serem de barro, podem ficar intransitáveis nessa época por causa das chuvas.


Quanto tempo ficar?

Acredito que quatro dias inteiros sejam suficientes para você conhecer o mínimo do lugar. Uma semana é o ideal para explorar mais a região e fazer passeios mais distantes.

Dá para levar crianças? E pessoas com dificuldade de locomoção, sem preparo físico? E carrinho de bebê?

Sim, as crianças podem ser levadas, desde que sejam obedientes, pois as trilhas, muitas vezes, não são planas, são feitas em aclives e declives, sem corrimão, podendo ocasionar acidentes caso a criança não consiga seguir regras de segurança. Além disso, acredito que apenas crianças a partir dos oito anos de idade vão aproveitar bem os passeios, e somente aquelas que estejam acostumadas a fazer pequenas trilhas e  atividades ao ar livre..

Pessoas com dificuldade de locomoção não conseguirão fazer praticamente nenhum passeio na Chapada, pois nenhuma das trilhas é adaptada par tal.

Com relação ao preparo físico, um mínimo vai ser necessário para a pessoa não ter um treco e morrer subindo ou descendo de alguma trilha, mas se eu consegui, praticamente qualquer pessoa consegue.

Deixe seu carrinho de bebê para levar para o shopping, na Chapada não existe a menor possibilidade de você vir a usá-lo.


O que levar na mala?

Protetor solar, tênis, crocs (usei em algumas cachoeiras com fundo pedregoso), repelente (levei , mas não usei, não vimos nem sentimos mosquitos nas trilhas, a não ser nas águas termais da Fazenda Morro Vermelho), roupas para banho, agasalho para as manhãs e noites que costumam ser frias (pelo menos no inverno), boia para as crianças, boné para o sol inclemente do cerrado, sua máquina fotográfica, para registrar todas as paisagens incríveis que você verá por lá. 


Onde comer?

Tanto em Alto Paraíso quanto em São Jorge você terá inúmeros restaurantes e lanchonetes para comer.

Em Alto Paríso indico a Pizzaria 2000, onde jantamos todas as noites. Pizzas excelentes, feitas no forno à lenha, e com preços melhores ainda. Também servem porção de carne na chapa, coisa rara em Alto Paraíso, que tem uma pegada fortíssima saudável/vegetariana. A pizzaria oferece música ao vivo de qualidade, baixinha, para não atrapalhar as conversa, e cobra um pequno valor de couvert artístico.

Para lanches, o Coisas da Drica é o lugar. Lanchamos todas as tardes lá. Oferecem cachorro-quente e hambúrguer...Vegetariano...Mas não é que o negócio é bom!

Outro  por quilo que  experimentamos foi o Restaurante Moinho, em frente a rodoviária de Alto Paraíso, com comida simples, caseira, com preços muito bons.

Um que não experimentamos mas que é famoso na região é o Restaurante Nativu's. Querendo um jantar romântico, sugiro o Restaurante Jambalaya.

Em São Jorge só experimentamos e adoramos o Restaurante da Nenzinha, uma comida a quilo muito boa e com preços ótimos.

Não deixe de experimentar o Restaurante Buritis, muito famoso na vila, mas estava fechado na hora que chegamos para almoçar.


Muito importante: não esquecer de tomar vacina contra febre amarela, com no mínimo dez dias de antecedência da viagem. A vacina oferece dez anos de imunização. Qualquer posto de saúde oferece a vacina gratuitamente.

Leve algum dinheiro em espécie.  As entradas dos atrativos são pagas, só aceitam dinheiro vivo, e em Alto Paraíso só tem uma uma agência do Itaú e uma do Banco do Brasil.  Grande parte dos restaurantes aceita cartão de crédito/débito. Não existe banco 24 horas na cidade.

Tanto em Alto Paraíso, quanto em São Jorge, existem Centros de Informações Turísticas, para tirar suas dúvidas.

Querendo contratar uma agência de viagens para fazer seus passieos, uma das mais recomendadas da região é a Travessia Ecoturismo.

Não esquecer de levar água e um pequeno lanche para as trilhas, em algumas delas não existe bar /lanchonete de apoio. 

De resto, curta a paisagem e os momentos únicos que você vai viver por lá!

Boa viagem!


Patricia Tayão.
Fotos: Patricia Tayão e Eduardo Freitas.

Está programando sua viagem? Resolva tudo por aqui!

Para reservar seu hotel no Booking, acesse esse link aqui.
Para comprar seu seguro viagem com a Mondial Assistance, acesse esse link aqui.
Para reservar seu carro com a Rentalcars, acesse esse link aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário